Terceirizados da limpeza de escolas do DF entram em greve por salários atrasados

trabalhadores terceirizados de limpeza das escolas que ficam no Paranoá e no Itapoã, no Distrito Federal, cruzaram os braços nesta quinta-feira (16), em frente à Regional de Ensino do Paranoá, em protesto aos meses de salários atrasados. Segundo o sindicato que representa a categoria, o Sindserviços, a greve não termina enquanto até que os pagamentos sejam feitos.

“Não tem data para acabar. Enquanto o dinheiro não voltar à conta dos trabalhadores, ninguém vai trabalhar”, disse o diretor do Sindiserviços no Paranoá, Pedro Rodrigues.

De acordo com um dos trabalhadores, eles estão sem receber o 13º, o salário de janeiro e os vales alimentação e transporte de fevereiro. Já o salário de dezembro, que também não tinha sido pago na data, só foi quitado no final do mês passado.

Segundo o sindicato, os trabalhadores sofrem sem renda. Quem trabalha em serviços gerais recebe salário de R$ 1.052,20, com tíquete de R$ 27,50 por dia trabalhado. O sindicato não soube estimar o número de funcionários que entrou em greve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *