Após sete anos, Brasil volta a sediar o Grand Slam de Judô

Delegação brasileira é formada por 56 judocas

O Grand Slam Judô de Brasília começou neste domingo (6) no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB) com a participação de 360 atletas de 61 países. Os confrontos começaram às 10h30, com as lutas preliminares, e as disputas de medalhas serão às 16h. No primeiro dia, entram no tatame as categorias Ligeiro, Meio-Leve e Leve feminina e Ligeiro e Meio-Leve masculina.

“Agradeço a Federação Internacional de Judô (FIJ) por ter acreditado na capacidade do Brasil, especialmente de Brasília de organizar novamente grandes eventos mundiais de judô. Todos os nossos compromissos serão religiosamente cumpridos. Sejam muito bem-vindos todos os atletas, comissão técnica e família FIJ . Foi preparado com muito carinho e com muito cuidado pela família do judô de Brasília”, destacou o secretário de Esporte e Lazer, Leandro Cruz, que participou da mesa de abertura.

Também estiveram presentes na cerimônia o presidente da Confederação Brasileira  de Judô (CBJ), Silvio Acácio Borges, e Mayra Aguiar, atleta da categoria meio-pesado feminina e número dois do ranking mundial. “Gosto muito de lutar em casa, com a torcida a favor, me sinto bem assim. É uma pressão a mais, porém eu gosto desse clima e da motivação que eles passam pra gente. Isso ajuda muito na competição e espero que seja assim todos os dias, para que façamos uma boa campanha”, disse Mayra Aguiar.

O Grand Slam Judô, que volta a ser disputado no Brasil após sete anos, dá ao vencedor 1000 pontos no ranking internacional da FIJ e impulsiona o judoca na luta por uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. “Grand Slam é sempre Grand Slam, independente do país que seja. Entendo que todo mundo cria uma expectativa muito grande por estarmos sediando a competição, mas temos grandes atletas capacitados e, principalmente, atletas jovens da equipe de base, que estarão no Mundial Sub-21”, explicou Rosicleia Campos, coordenadora da seleção brasileira feminina de judô.

País-sede do torneio, o Brasil entra com uma delegação de 56 judocas, sendo quatro por categoria. Com isso, a comissão técnica convocou atletas da categoria de base para compor o grupo verde e amarelo, oferecendo a oportunidade de competir em alto nível no campeonato de relevância mundial. Com entrada franca, a promessa é de grande público no Centro Internacional de Convenções do Brasil. O que anima os judocas para as grandes lutas que terão pela frente.

  • Com informações da Secretaria de Esporte e Lazer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: